A inclusão das modalidades paralímpicas ao esporte do Recreio da Juventude acompanhou o movimento do esporte brasileiro. O paradesporto nacional registrou um significativo crescimento e desenvolvimento a partir dos anos 90, principalmente após a fundação do Comitê Paralímpico Brasileiro em 1995. 

 

Em diferentes frentes, o esporte paralímpico foi impulsionado, considerando o seu viés social, atrelado ao alto rendimento. Ao longo das últimas duas décadas, os brasileiros reafirmaram a condição de protagonistas no cenário paralímpico continental, com a conquista de expressivos resultados em diferentes modalidades.  

 

O judô foi a primeira modalidade paralímpica do Recreio da Juventude. O primeiro paratleta do clube foi Marcelo Casanova. A classificação dele nesta categoria foi confirmada pela Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV) em 2021.  

 

Desde então, ele vem acumulando uma sequência de bons resultados que o mantiveram no topo do ranking e fazem dele um dos principais nomes do judô paralímpico do Brasil. 

O primeiro atleta da história do RJ convocado para uma edição dos Jogos Paralímpicos

Marcelo Casanova foi confirmado como um dos integrantes da equipe brasileira que irá disputar os Jogos Paralímpicos de Paris, entre os dias 28 de agosto e 8 de setembro de 2024.

É a realização de um sonho para o atual quarto colocado do ranking mundial na categoria meio-pesado (-90kg) na classe J2 – para atletas com definição de imagens.

Ele é o primeiro atleta a representar o Recreio da Juventude em uma edição dos Jogos durante o período em que está defendendo o clube, colocando o RJ de vez no cenário esportivo internacional.

A expectativa agora é pela conquista de uma medalha. 

Conquistas de Marcelo Casanova

Bronze na terceira etapa do Grand Prix da IBSA, em Tbilisi, na Geórgia 

Bronze no Campeonato Mundial IBSA, em Birmingham, na Inglaterra 

Ouro no Parapan-Americano, em Santiago, no Chile 

Bronze no Campeonato Mundial de Judô Paralímpico, em Baku, no Azerbaijão 

Os treinamentos e a preparação de Marcelo Casanova incluem suporte multidisciplinar, com fisioterapia, preparação física e nutricionista, por meio do projeto Recreio Paralímpico - Preparação Paris 2024 - financiado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, por meio do PRÓ-ESPORTE/RS.